Permitir uma mobilidade, energeticamente, eficaz e que respeita o meio ambiente,
através da utilização dos comboios magnéticos!

O tráfego e a mobilidade precisam, sempre, de energia e de recursos. De facto, os comboios magnéticos, em comparação directa com outros sistemas de tráfego, podem resultar, claramente, com maior eficácia, relativamente à energia e respeito pelo meio ambiente – especialmente, em comparação com o avião, no âmbito do tráfego de alta velocidade. Para além disso, os comboios magnéticos não têm, durante o seu funcionamento, a emissão de substâncias poluentes directas e são, comparados com outros sistemas de tráfego motorizados, muito silenciosos.

Os comboios magnéticos podem ser considerados, do ponto de vista do funcionamento e da manutenção, como sistemas de tráfego com um balanço total de custos e de lucros extraordinariamente positivo. Aperfeiçoamentos tecnológicos futuros, ainda, vão melhorar, claramente, como é de esperar, este balanço.

No que diz respeito à emissão de sons dos comboios magnéticos é, principalmente, superior aos sistemas roda-carril. Os comboios magnéticos, devido à sustentação, não produzem ruídos de fricção e de rolamento. Os comboios magnéticos não produzem o chiar dos carris mal-afamado dos comboios convencionais. No que diz respeito à emissão de ruídos, devido aos remoinhos de ar, os comboios magnéticos rápidos são, claramente, superiores a todos os veículos de roda-carril, em particular, eliminam-se nos comboios magnéticos a emissão de ruído nos conectores de corrente dos veículos de roda-carril, quando a energia é transmitida por indução sem contacto. Em comparação a velocidades iguais, os comboios magnéticos são, principalmente, mais silenciosos do que os sistemas de roda-carril. Assim, apenas se ouve os comboios magnéticos rápidos, com velocidades inferiores a 200 km/h, que é uma vantagem importante para as zonas urbanas e entradas nas cidades. O Transrapid Shanghai e o sitema Linimo japonês - um comboio magnético para o tráfego urbano - demostram-no eficazmente.

As vias de comunicação do comboio magnético apresentam, também, um efeito de separação (ecológico) inferior ao das auto-estradas, aos traçados de carris e às hidrovias. Os animais podem deslocar-se por baixo das vias de comunicação dos comboios magnéticos, sem ficarem assustados, como se tomou conhecimento, através de observações e experiências, por exemplo nos trechos piloto no Japão e na Alemanha (Emsland). Existe, de forma expressiva, a exigência de que, no futuro desenha-se uma arquitectura das vias de comunicação, que pode ter, parcialmente, um aspecto maciço, mais valioso e estético. Isto refere-se tanto aos comboios magnéticos como aos sistemas de roda-carril.