Benefício social a longo prazo em substituição
da revalorização do balanço temporal

Os fabricantes de veículos de roda-carril interessam-se pelas maiores transacções, possíveis, de manutenção e substituição de peças de desgaste. Do ponto de vista da economia industrial um alto desgaste pode ser vantajoso para os fabricantes de roda-carril, porque isso pode obrigar a encargos com a manutenção.

Em comparação com isto, do ponto de vista da economia nacional, as mais pequenas despesas com a manutenção e reparação de peças mecânicas de desgaste são desejáveis: Pequenas despesas de manutenção na operação contribuem de forma essencial para uma apreciável mobilidade. Para os comboios magnéticos, mesmo em altas velocidades, levitam sem contacto ao longo da via de comunicação, estas despesas, tão pequenas, são típicas.

A operação em relação aos comboios magnéticos é, neste sentido, também, vantajosa e desejável do ponto de vista da economia nacional.

Para os fabricantes e para as empresas que operam no mercado de roda-carril, o desgaste inevitável do sistema de roda-carril é, geralmente, resultado da actividade empresarial muito interessante e que garante grandes volumes de venda a meio prazo. Obriga-se a manter a infra-estrutura e os veículos com peças de substituição e com uma manutenção intensiva - quanto mais sobem as velocidades de marcha mais sobe, também, o desgaste e como consequência o volume de vendas. Devido a este facto os fabricantes de veículos conseguem, cada vez menos, lucros, especialmente, no tráfego rápido com a venda de veículos, sendo a fonte de rendimentos, apenas, com os contratos de manutenção a longo prazo.

Os sistemas de comboio magnético que operam, quase sem desgaste, produzem despesas de manutenção, relativamente, pequenas e devido a isso são bastante apreciáveis durante a operação. As empresas que conseguem os seus volumes de venda através da: manutenção, reparação e venda de peças de desgaste, consideram esta a principal vantagem dos sistemas de comboio magnético, como uma ameaça económica à sua área de negócio de manutenção e por isso bloqueiam, geralmente, as discussões em relação à utilização do comboio magnético. Desde o ponto de vista isolado das empresas, esta atitude de bloqueio parece explicável, enquanto que do ponto de vista da colectividade social e da orientação futura, este estorvo em relação à economia nacional, é duvidoso até mesmo prejudicial.